segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Vitória sabe bem mas faltou Coentrão

O Benfica ganhou, afastou-se do FC Porto e demonstrou, mais uma vez, um aspecto necessário para quem quer ser campeão: espírito de sacrifício, luta, entrega, porque nem sempre as vitórias são feitas de lances vistosos, fintas extraordinários ou golos espectadores.

Sem jogar muito bem, a equipa continua a colocar os adversários em «sentido» logo no início das partidas, como aconteceu em Leiria, e, durante os noventa minutos, dificilmente permite que criem muitos lances de perigo, muitas vezes começa a «travar» o ímpeto oposto ainda nas intermediárias contrárias. Naturalmente, tem havido algumas excepções, mas o sector defensivo tem resolvido bem os problemas: o golo de Leiria foi sobretudo azar do David Luiz, que personifica este forte empenho do novo Benfica, quando tentava «cortar» a bola.

Apesar de tudo, os jogadores conseguiram alguns momentos brilhantes, mas o mais notável foi aquele toque subtil que permitiu a Saviola inaugurar o marcador, na sequência de mais uma bola bem preparada por Aimar.

A vitória é justa e nasce na sequência de um lance duvidoso: posso estar enganado, mas parece-me que o defesa do Leiria toca primeiro na bola e só depois derruba Aimar. No entanto, em jogadas como esta, é quase impossível um julgamento correcto, sem imagens televisivas, como acontece a quem está no relvado.

Por outro lado, senti a falta de Fábio Coentrão: já mostrou que está evoluído como atleta, mais disciplinado tacticamente, e, com velocidade e técnica, podia ter «agitado» e melhorado o futebol do Benfica, como já aconteceu noutros desafios, perante um estádio que nunca tinha recebido tanta gente numa competição nacional. Na Liga de Honra, recebia jogos com pouco mais de 500 (é mesmo assim, não faltam zeros) espectadores.

A contratação de Keirrison entusiasmou-me bastante no início da época, não só porque tem potencial para ser um fantástico futebolista, mas, também, porque se falava que poderia reforçar o FC Porto. Contudo, continua a revelar-se desenquadrado do sistema de Jesus, mas espero que o treinador lhe volte a dar mais oportunidades para jogar.


video

11 comentários:

  1. Penso que jogámos bem embora não tenhamos sido brilhantes.
    Não fosse mais um dos incontáveis azares do David Luiz e este jogo, caso entrasse o 2º, teria sido mais um passeio.
    Mas como o David Luiz teve azar, notou-se o jogo fraco do Ramires e algum desacerto nno último passe. Não sei se pela velocidade do adversário ou simplesmente por cansaço, ou ambos...
    Mas lutámos muito, tivemos boas jogadas, defendemos bem, atacámos bem também algumas vezes.
    Estou convencido que o Keirrisson é uma questão de engatar...
    Para mim, melhores em campo: Di Maria e Javi Garcia

    ResponderEliminar
  2. faltou Coentrão sim senhora....

    e faltou porque o Cardoso começou no banco....

    o Keirrison como 1º ponta-de-lança fixo lá no meio dos centrais acho que não vai render....

    mais atrás sim....

    no Restelo não marcou mas jogou bem....

    e pelo que vi na quinta-feira também faltou Felipe Meneses no banco...

    com a saída do Ramires perdemos o controle do meio-campo....

    no futuro o Meneses pode substituir o Ramires....

    quando o Coentrão não sai do banco, o Weldon fica na bancada e o Felipe Meneses nem sequer é convocado o Benfica só pode aspirar a ser Campeão Nacional...

    ResponderEliminar
  3. Meu amigo... não há dúvidas no lance.

    Jogo perigoso é sempre falta... e se houver contacto com o jogador (jogue ou não a bola) é penalty.

    Isto não é uma interpretação... são as regras da FIFA!

    Estavamos num campo de futebol e não num ringue de "vale-tudo".

    ResponderEliminar
  4. Mais uma grande viagem para uma grande vitória. Um mar vermelho pela estrada fora.

    Grande surpresa da partida, o desempenho de Jorge Sousa. Sem habilidades.

    Aimar duas assistências. Um cruzamento para o golo de Saviola e a falta sofrida para o penalty de Cardozo.


    No estado em que estava o relvado não era possível fazer muito melhor.

    ResponderEliminar
  5. Temos estrelinha!

    E o lance do Penalty não foi duvidoso. Foi bem claro. Pé em riste é sempre falta, e se huover contacto é livre directo. É o que diz a lei 12. E desde quando é que um jogar só por tocar na bola pode atingir o adversário? Daqui a pouco desde que se tocasse na bola podia-se partir a perna do adversário... E para quem diz que o Aimar estava a movimentar-se, não se lembram do lance em que o Beto do Benfica fez penalty sobre o Liedson? Lance claro, que só fica na dúvida porque os comentadores pagos da RTP não conhecem as leis ou manipulam as leis em prejuízo do Benfica.

    Força Benfica!

    ResponderEliminar
  6. Foi uma vitória muito difícil contra uma equipa bem orientada e o penalty é-o em qualquer parte do mundo. Futebol não é kickboxing.

    João Tomaz, o Di Maria o melhor em campo? Eu percebo que é a tua opinião, mas acho que é unanimemente considerado um dos piores em campo. O rapaz não jogou nada ontem. Aí concordo com o autor do post, muita falta fez o Coentrão.

    ResponderEliminar
  7. O melhor foi o Javi Garcia e gostei do Di Maria porque foi, ao longo dos 90 minutos, quem mais manteve a bola perto da área adversária. Depois do 2-1 então, a bola não saiu mais de lá e grande parte do mérito da nossa equipa nesse aspecto deveu-se, na minha opinião, à acção do Di Maria...

    ResponderEliminar
  8. Complementando...
    Acho que se espera que o Di Maria consiga, consecutivamente, driblar, fazer grandes passes, marcar grandes golos. Penso que, com o tempo, o começará a fazer de forma mais consistente mas, para já, só o simples facto da equipa adversária ter que dedicar 3 jogadores para tentar pará-lo (defesa, médio que não sobe, central que dobra), já mostra bem o que ele costuma fazer...

    ResponderEliminar
  9. Podes ter razão no que dizes. Eu não vejo as coisas por esse prisma. Acho que muitas vezes ele é inconsequente. São muito mais as vezes que não faz nada de jeito do que as que sai algo de bom daqueles pés. No entanto, admito que esta época está muito melhor, muito mais esclarecido, mais maduro, a jogar mais para a equipa (ainda neste jogo fez aquele excelente passe atrasado para o Nuno Gomes) e portanto admito que nesta época, este foi talvez o seu jogo menos conseguido. Ai dou a mão à palmatória. No entanto, continuo a dizer que num jogo destes o Coentrão fez falta. Ainda por cima com o Ramires em sub-rendimento.

    ResponderEliminar
  10. Sinceramente, não acho que tenhamos jogado bem e a vitória é justa porque quando o Benfica ganha é sempre justo!

    Acho que o cansaço fez moça e do meu ponto de vista JJ não esteve tão bem neste jogo. Apostou em Di Maria que tem jogado todos os jogos e precisa de descanso, ainda para mais quando tem o Coentrão como alternativa. Demorou muito tempo a reagir, Keirrison nem sequer deveria ter entrado na segunda parte. Ainda bem que as coisas correram bem e que este Jorge Sousa, incrivelmente,, marcou um penalty, REAL, a nosso favor e decisivo.

    Uma nota para o lance do golo sofrido, o Benfica não pode defender estes livres laterais com a linha defensiva dentro da grande área, é meio caminho andado para sofrer golos azarados e de forma fortuita. Atentem bem no vídeo deste post. Apesar de ter sido golo do Saviola, é assim que se deve defender estes lances, com a defesa subida.

    Uma coisa que me irritou profundamente, alguém que explique ao D. Luiz que fazer correrias daquelas para perder a bola quando apenas temos margem mínima é uma coisa, e outra é quando já estamos a golear.

    Vitória muito importante!

    ResponderEliminar
  11. Confesso que no final da partida, estava convencido que Jorge Sousa, havia cometido um erro grosseiro, com nitída influência no resultado, facto esse motivado, confesso, pela minha ignorância, pois julgava que qualquer acção de jogo perigoso, que foi evidente e consensual nos orgãos de comunicação social, era sempre punível com livre indirecto. Mas hoje de manhã, ao ler o jornal, constatei que estava errado, pelo simples facto de segundo a lei XII (fica aqui a informação para os que anseiam dizer que o Benfica é levado ao colo), diz o seguinte: " O jogo perigoso não implica necessariamente contacto físico entre os jogadores, No caso de contacto físico, a acção passa a ser punida com um pontapé de livre directo ou com pontapé de grande penalidade", logo, o árbitro obedeceu à lei e assinalou bem a grande penalidade.

    São vitórias com esta que fazem campeões e esta foi duplamente importante, não só porque o Porto havia perdido, como também pelo facto de na prx semana haver Porto-Sporting, que vai terminar, assim espero, empatado.

    ResponderEliminar