terça-feira, 19 de maio de 2009

Coração vs Razão

No seguimento do post feito pelo João Tomaz (Campanha “Renova TC) que muito me envaidece, e que eu agradeço por ser dirigido ou o enfoque principal ter sido a minha pessoa, mas certamente por extensão visou muitos Benfiquistas cuja duvida em torno do tema renovação de cativo também lhes colhe parte do pensamento, gostaria em jeito de resposta no uso do contraditório destacar argumentos, duvidas e certezas face ao futuro do clube:

Na argumentação convém realçar os pontos Benfica e o Benfiquismo e a amizade. O Benfica é realmente muito mais do que uma estrutura composta por algumas pessoas que para ela trabalham. O SLB é uma organização que faz da sua história um lema de vida, e dos seus adeptos uma família. Em tempos convivi com um sportinguista que me dizia de forma simpática mas sentida, face à minha condição de adepto, que o SLB não era um clube mas sim uma religião. Realmente é assim que eu e muitos de nós vivemos o clube. É mais do que uma equipa de futebol ou de qualquer outra modalidade que joga semana a semana, é algo que vive dentro de nós é uma constante das nossas vidas. Assumo sem pudor que é raro passar um dia sem que pense naquilo que é o SLB (passado, presente e futuro).
O sentir Benfica ultrapassa em muito o jogo, é a forma de contacto com amigos que de outra forma não existiria, mas o prazer o ambiente da vitória são sentimentos soberbos e inexplicáveis sendo que o inverso é penalizante.
Na minha ainda curta existência já vivi momentos muito bons, mas assumo aqui perante quem nos lê, que o dia que recordo com maior saudade, pelos sentimentos de alegria vividos, ocorreu na deslocação ao Bessa e que culminou no último titulo conquistado. A viagem organizada pela casa do Benfica de Almada, o maravilhoso almoço na Mealhada, a chegada ao Estádio do Bessa, o golo do Simão, o golo da Académica (no Dragão), o apito final do árbitro, o abraço sentido e emotivo a todos os Benfiquistas em nosso redor, o regresso, a chegado a um Estádio da Luz pelas 3h da madrugada cheio. São estas memórias que anseio que se repitam e que justificam toda a vivência elencada neste post. É por isso que ano após ano, jogo após jogo, estou presente nas bancadas em apoio à nossa equipa, esperançado cheio de fé que seja desta.
Este é o Benfica coração.

O Benfica Razão é a forma pensada daquilo que é o Benfica no presente e o expectável Benfica no futuro.
Estou certo que continuará a existir em muitos de nós o Benfica coração, mas ainda mais certo estou que corremos o sério risco de sermos cada vez em menor número. O nosso clube vive nos últimos 20 anos o período mais conturbado da sua história centenária. Fruto da sua arrogância e sobranceria não se apercebeu da teia que vinha a ser montada no futebol Português, colocou-se nas mãos de pessoas que quase levaram o clube à sua extinção e continua a pactuar com outros que o usam para se promoverem minando por dentro e impedindo que o clube se reerga.
LFV está no Benfica há cerca de 8 anos, é um dos principais responsáveis pela recuperação do clube. Nestes anos de vivência no seio da organização, fez um trabalho gigantesco na reorganização e recuperação financeira, mas acumula erros na vertente desportiva, sendo que muitos destes se repetem ano após ano sem que se aprenda e os corrija. Para além de nada ganhar o SLB através dos seus representantes não defende e trata mal os seus, negando a sua história, o exemplo mais recente é Quique Flores.
Quem acompanha este espaço de conversa, sabe que desde cedo critiquei muitas das suas opções, acho que o muito do mau que aconteceu nesta época o treinador contribuiu de forma acentuada, mas a exemplo do que tem acontecido com os seus antecessores, o que é que o clube através dos seus representantes fez por ele?
Quando no inicio do campeonato fomos empurrados para baixo, ninguém falou, quando os resultados não apareceram e o titulo se complicou o treinador foi deixado à sua mercê sem que houvesse uma posição clara em sua defesa, e em total desrespeito por um profissional que defende as nossas cores, contratado para um projecto de dois anos, especula-se, interaje-se de forma a preparar a sua substituição. É a gestão do povo e para o povo, é a repetição dos erros passados, sendo que assim, os resultados também se repetirão.

Renovar ou não um cativo é indeferente para o clube, mas era tempo de se acabar com os grupos e grupinhos que minam internamente o clube, é tempo de parar para pensar no que foi feito de mal nos anos anteriores e com ou sem pressão do povo não voltar a cometer os mesmos erros, é tempo de servir o clube e não servir-se dele. Se tal for feito certamente estará mais perto do coração.

4 comentários:

  1. O teu post merecia um comentário mais cuidado mas, por agora, digo apenas que os castigos aplicam-se nas urnas.
    Renova mas é o cativo pá!

    ResponderEliminar
  2. POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL20 de maio de 2009 às 23:59

    http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

    ResponderEliminar
  3. Meu caro TC, não o conheço, mas não é dificil descobrir o seu enorme e genuino benfiquismo. Da+i que lhe pergunte: Se os benfiquistas acabam por desistir do Benfica, então o que é que sobra? E não renovar um cativo pelos motivos que evoca - íntimos e intransmissíveis - é uma forma de desistência. Não desista, meu caro, o Benfica não pode ser nunca motivo de desistência. O Benfica é o que sempre foi: inclusão, grandeza e comunhão. O resto é sistema. Um abraço

    José Marinho

    ResponderEliminar
  4. O José Marinho tem toda a razão. Não renovar o cativo não é um protesto, é uma demissão ou desistência como lhe chamou.

    ResponderEliminar