sexta-feira, 15 de maio de 2009

Satisfação ou depressão?

Gosto muito de futebol. Há muitos anos que tenho lugar cativo e sou presença assídua nos jogos em casa. Quando criança, era mais uma que sonhava jogar no Benfica (acho que ainda hoje sonho...). Normalmente, os meus fins-de-semana são planeados de acordo com o horário do jogo do Benfica (a ver ao vivo ou na tv). E como há que estar (sempre com gosto) com a mulher e as filhas, acaba por não sobrar muito tempo para acompanhar como gostaria as outras modalidades. Mesmo o meu querido basquetebol. É possível que tenha chegado o momento de repensar prioridades. Porquê? Porque normalmente saio do futebol deprimido ou mesmo angustiado, ainda que tenhamos ganho o jogo. Pelo contrário, nas outras modalidades, em regra, vou para casa satisfeito e orgulhoso pelo que os jogadores fizeram. Por vezes, mesmo depois de uma derrota.

Ontem, na Luz, o jogo de andebol que decidia o acesso à final do 'play-off' foi muito complicado. O Sporting tem uma equipa forte e o Benfica parece-me desgastado e com vários jogadores com problemas físicos. É certo que João Ferreirinho foi importantíssimo, que não fosse o golo de Zaikin no último segundo e estaríamos a chorar a eliminação e que Carlos Carneiro é um jogador enorme. No entanto, permitam-me que destaque Luís Nunes. Que extraordinária exibição e que espírito de sacrifício! Teve de ser assistido várias vezes, mas, mesmo a coxear, nunca desistiu (o seu suplente, João Pais, preparou-se várias vezes para entrar, mas teve sempre de voltar a vestir o fato de treino). Um exemplo! Ainda bem que Rui Costa estava lá a ver tudo. Por mim, saí da Luz muito satisfeito e hoje lá estarei de novo, desta vez para o basquetebol.

PS - Deixo, por último, um elogio a Fernando Tavares. Mais uma vez, marcou presença (de novo acompanhado por José Marinho, do que não vem mal nenhum ao mundo). Discreto, sem colocar-se em bicos de pés, mas fazendo questão de permanecer no pavilhão até saudar individualmente os jogadores. E estes corresponderam com abraços sentidos...

7 comentários:

  1. Não resulta. Vais continuar a ficar deprimido com a bola e, ainda por cima, doente por não lá ires. O ideal mesmo seria começarmos a ganhar.

    ResponderEliminar
  2. Olha que no sábado não fui ver o Benfica-Trofense. Segui o jogo na televisão. É verdade que vários factores determinaram esta ausência (trabalho, aniversário de familiar, compromissos das filhas), mas noutras circunstâncias teria feito o possível e o impossível para ir à Luz. Aliás, bastava que fosse um jogo de basquete e não teria falhado. Já é alguma coisa... :)

    ResponderEliminar
  3. A verdade é que eu próprio tb já pensei nisso. Estou há vários anos a ponderar não renovar o cativo, penso que será desta, e para saciar o meu Benfiquismo dedicar-me ao meu desporto favorito que é o Basket, que por acaso este ano está a correr muito bem, e para o ano (Diogo Carreira já renovou), terá perspectivas de se manter ganhador, ou pelo menos competitivo.

    ResponderEliminar
  4. Quem é o Fernando Tavares? E o José marinho? É só nomes para o ar neste clube...
    JL

    ResponderEliminar
  5. Por Uma Revolução No Futebol Em Portugal15 de maio de 2009 às 21:56

    http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/

    ResponderEliminar
  6. Acho que sofremos todos do mesmo mal.

    TC
    Eu também penso nisso muitas vezes. Este ano é que não renovo...mas depois... o sacana do virús é mais forte ... e não há meio de curar a doença.

    Quero-te continuar a ver na fila à minha frente.

    ResponderEliminar
  7. o Maior Clube do Mundo n é só futebol...

    mt bom

    ResponderEliminar