quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A melhor mensagem para 2010

Recebi esta mensagem e não resisto a transcrevê-la aqui:

"Que 2010 te traga a força do Javi, a magia do Aimar, a raça do Ramires, a letra do Di Maria, o oportunismo do Saviola, a entrega do David Luiz, a segurança do Luisão, a concretização do Cardozo e a Diana do César Peixoto."

Boas entradas.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

O exemplo João Pereira

Antecipadamente alerto que não me causa qualquer transtorno a ida de João Pereira para o Sporting, contudo o seu nome, percurso e valor deverá constituir um exemplo de má gestão desportiva e sobretudo um alerta para que tal não se repita.
O João Pereira é um jogador formado pelas nossas escolas, dos poucos que chegou à equipa principal e que apresentou valor para se manter. Nunca esperei dele uma mais-valia, um jogador titular que fizesse a diferença, esperava sim num binómio qualidade-preço, um jogador interessante com um espírito de missão assinalável, sempre que chamado cumpria e era barato (ordenado baixo), ou seja, um suplente de grande utilidade até pelos 2 lugares que podia fazer.
A opção tida foi a sua dispensa para a contratação de jogadores mais caros e de qualidade duvidosa reforçando neste momento um rival ainda que a preços totalmente diferentes e do meu ponto de vista despropositados para o jogador em questão.

Actualmente Miguel Vítor cumpre exactamente o mesmo espaço no nosso plantel. Jogador de formação com ordenado baixo, sempre que é chamado cumpre tornando-se um excelente jogador de equipa e de plantel. Correm rumores (pouco infundados) sobre a sua dispensa. Esta a ocorrer será um erro ainda maior que o de João Pereira, há que aprender…

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Superar Patamares

Quando fomos campeões em 2004-2005 todos pensámos que o mais difícil estava feito e que a hegemonia no futebol português passaria a ser nossa, afinal tínhamos ficado à frente dos outros. Um pensamento comum e de certa forma compreensível depois de um interregno que eu considero longuíssimo.
Desta vez e ainda que não tenhamos ganho nada, há algo que começa a mudar, ou melhor há várias coisas que eu destacaria:

Qualidade - Temos neste momento um plantel forte com quase todos os jogadores internacionais, e de topo do futebol, com uma capacidade em termos gerais como há muito não tínhamos.

Atitude - Grande atitude dos jogadores durante o jogo, e isto é muito importante porque são eles mesmos que se controlam e exigem uns dos outros esta forma de ser, porque quem não a tiver vai ser chamado por não ter dado tudo o que tinha. o Balneário mais forte e coeso.

Espírito de conquista - a procura de mais e mais golos, há quanto tempo não víamos isso? E podemos ganhar em qualquer lado.

Carácter - David Luiz e Javi Garcia virem dizer que gostam do clube e que se identificam e que não querem saír, além disso estarem lesionados como o caso do Ramires e querer jogar e dar tudo.

Média de idades - David Luiz, Javi Garcia, Ramires, Di Maria, Fábio Coentrão, Urreta, Miguel Vitor, Roderick o próprio Ruben Amorim, jovens que nos dão garantias de futuro e que serão as sementes que precisamos para continuarmos durante muitos e muitos anos a ter equipas competitivas.

Experiência - Por outro lado a experiência de Justificar completamenteoutros jogadores como mais velhos que fazem uma mescla fundamental.

Rui Costa - Um conhecedor do Mundo do futebol e com uma inteligência e sapiência capaz de trazer jogadores que consideraríamos à partida que nunca viriam.

Jesus e a sua equipa técnica que percebe a dimensão do clube e vai atrás da sua génese vitoriosa, implementando modelos de jogo competitivos e que espelham a natureza do clube, e com uma linguagem corajosa e ambiciosa para levar este grande barco de volta à sua história.

A ordem não é relevante porque todos estes pormenores são importantes, mas a sua conjunção é que nos tornará cada vez mais forte. E nós os adeptos seremos o suporte que os levará até aos títulos.
Haverá outras etapas como a subida de mais juniores à equipa sénior, claro que sim, mas este modelo terá de ser consolidado, quem sabe um dia possamos ter uma cantera como a do Barcelona, mas tudo tem o seu tempo de maturação.

Um bom Natal para todos vós!!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

David Luiz: «Real Madrid? Amo o Benfica»

Estou com uma dúvida?


Será que todos aqueles que acham que o David Luiz é sobrevalorizado, é claro que pelos Benfiquistas, ou que dizem que é um jogador muito violento, ou como um personalidade ligada ao Porto disse, esta semana, que bastava apertar com David Luiz para ele cometer muitos erros e condicioná-lo durante o jogo, acham o mesmo depois da portentosa exibição do David Luiz neste jogo, em que brilhou mais até depois de ter levado o amarelo.


E depois um gajo chega a casa encharcado e depara com estas declarações, é de sentir orgulho! Os Benfiquistas merecem esta vitória e em particular um Benfiquista muito especial, o David Luiz!

Muito mais que uma vitória

Frio, chuva, vento, mau estado do relvado, todos os ingredientes para que o jogo fosse pobre e mastigado. Puro engano o Benfica surgiu com uma atitude extraordinária, os jogadores foram de uma grande aplicação, além disso conseguiam desenhar belas jogadas num relvado massacrado por horas de chuva consecutivas. Bom futebol, com tabelas e aberturas de grande recorte técnico, quem diria que uma equipa assustada como um treinador de futebol tinha dito era capaz duma performance desassombrada...
Esta vitória representa mais do que três pontos porque foi conquistada em condições dificeis com lesionados e castigados com um tempo péssimo para artistas mas bom para carniceiros como um tal de Bruto Alves, ainda assim jogámos daquela forma bonita e produtiva.
Uma última palavra para dois jogadores que sobressairam pelo facto de terem jogado pouco este ano, Carlos Martins que fez um jogo inteligente pautando as acções de construção com a qualidade que se lhe reconhece e o miúdo Urreta, em quem eu sempre acreditei e já o tinha escrito e que demonstrou uma maturidade e uma capacidade exemplar, chegou viu e venceu.
O espirito de equipa sai reforçado com esta demonstração cabal de força e vontade.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Acordem

Iniciamos o campeonato sem quatro titulares (Katsouranis, Reyes, Suazo e Yebda), contratamos outros (César Peixoto, Javi Garcia, Ramires e Saviola) e mudámos radicalmente o sistema de jogo. Equipas perfeitas não existem, muito menos em cinco 5 meses. O tempo de Jesus no Benfica.

Mas comparemos.

Paulo Bento caminhava para a sua quarta época ao serviço da filial de Lisboa do clube do regime. Contado com praticamente o mesmo grupo de trabalho (apenas perdeu Derlei) e… caiu. Estranhamente ninguém se questiona sobre a “grande” equipa de futuro das últimas temporadas fruto de uma acertadíssima política desportiva com forte aposta na formação. Afinal, hoje parece que não passam de um grupo de atletas sem qualidade para vestirem tão “importante” camisola. Eu diria apenas menos sorte e menos favores que no passsado.

Jesualdo a exemplo das temporadas anteriores volta a viajar entre o Inferno e o Céu montado na mão do sistema que empurra a sua equipa e agarra a nossa. Assim não fosse e provavelmente o seu destino teria sido igual ao do seu colega da filial de Lisboa. Também ele caminha para o quatro ano de trabalho com a maioria do plantel.

Eu desafio qualquer um a ver de novo estes cinco jogos:

fcp – Leixões e Benfica – Leixões
Olhanense – fcp e Olhanense - Benfica

Neste primeiro grupo de quatro comparem a atitude, leia-se índice de agressividade e provocações que as equipas do Leixões e Olhanense puseram em campo em função do nome do clube contra quem jogavam.

No jogo da semana passada atentem no “especial cuidado” dos nossos adversários nas disputas de bola com David Luiz, Di Maria e Coentrão. E depois não me venham falar em preparação mental. São jovens de 21 anos cheios de sangue na guelra. Não são maduros e felizmente não oferecem a outra face. O lance da expulsão de Djalmir por si só explica bem melhor do que mil palavras. Só é possível alguém reagir daquela maneira (puxar os cabelos a um colega de profissão, por coincidência à beira da suspensão por amarelos, que se encontrava deitado acabado de sofrer uma violenta entrada) se estiver muito "motivado" e com os recados bem assimilados. Tudo tinha a intenção de condicionar não só jogo que se disputava mas essencialmente o derby da semana seguinte. Nesse mesmo fim-de-semana houve o cuidado de nomear-se para o jogo do dragão o árbitro mais permissivo da liga a que disciplina diz respeito, o Pedro Henriques, de modo a salvaguardar qualquer cartão inconveniente.

Braga - Benfica

Neste último constatem o amontoado de erros, sempre em prejuízo do mesmo, tão próprio da “classe habilidosa” de Jorge de Sousa o eterno líder da classificação dos árbitros no que de bom isso significa. Acrescente-se a intenção conseguida de condicionar a nossa equipa nos jogos futuros com a magnífica expulsão de Cardozo.

Fico incrédulo quando leio e oiço opiniões de Benfiquistas que alimentam a consertada política de comunicação de “paineleiros” e pseudo-jornalisticas ao serviço do clube do regime.
È deste factos que devemos falar. Como sócios temos a obrigação de os denunciar até à exaustão dada a “merda” (desculpem o termo) de silêncio dos nossos responsáveis, treinador incluído. Chateia-me nada termos aprendido com a vergonha do campeonato passado.

Di Maria



Esta quinta-feira o Di Maria voltou a mostrar ao Mudo porque o futebol é o seu maior espectáculo. Mas mesmo assim à quem apenas lembre que foi um mau passe por si efectuado que deu origem ao golo dos gregos, apesar de na sequência Miguel Vitor ter podido rectificar. Jogadores perfeitos não existem. Na falta deles eu prefiro os que arriscam e nos maravilham. O Di Maria fez um golo apenas ao alcance dos génios e não é o seu primeiro desse quilate.

São muitos, aqueles que na bancada da Luz não merecem o talento do Argentino. Para esses eu sugeria entrarmos sempre com 10 atletas e um saco de 10 milhões de Euros no seu lugar.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Até Pinto da Costa apoiou o Benfica

«Depois do nosso clube, nós queremos que ganhe o clube dos nossos amigos. Por isso, é que eu numa final europeia já sofri tanto pelo Benfica como pelo FC Porto».

Esta frase foi dita por Pinto da Costa, a 2 de Dezembro de 1992, à Gazeta dos Desportos e integra uma colectânea de citações publicadas no livro «30 Anos de Mau Futebol», com o antetítulo: «As grandes (e as mais disparatadas) frases do futebol português».

Apesar de não estar referido no livro, o que está em causa é a final da Taça UEFA, em 83. O Benfica perdeu o jogo com o Anderlecht, na Bélgica, por 1-0 e, na Luz, não conseguiu mais do que o empate a um golo.

«É que o Benfica tinha como presidente o meu amigo Fernando Martins», justifica o presidente do FC Porto, alegadamente sem ironia.

Neste livro, encontram-se, portanto, grandes «pérolas» das personalidades do mundo da bola ,nos últimos 30 anos, desde Vale e Azevedo, a Fernando Chalana [aborda o recurso dos jogadores a prostitutas, mas dá a entender que era um "santo" neste aspecto], Jorge de Brito, Toni, Artur Jorge, Camacho [conseguiu dizer que o 1-0 nas competições europeias é melhor do que 3-1], Manuel Damásio [lembro-me da Operação Coração, mas não me recordava que tinha perspectivado uma Operação...Cabeça] Jorge Jesus, José Mourinho e outros notáveis não relacionados com o universo benfiquista, desde Sousa Cintra, no episódio em que Mark Knopfler foi confundido com um futebolista, Valentim Loureiro, Santana Lopes, Jorge Coroado, Octávio Machado, Veiga Trigo e Carlos Valente, entre outros figurões do futebol português. A não perder...

E por falar em reforços

No seguimento do post do Eagle84 a recomendar a contratação de Ruben Micael (que concordo dependendo do preço) e das noticias vindas hoje a lume na imprensa desportiva nacional em especial em "ABola" lembrei-me de fazer as seguintes considerações para Rui Costa e companhia ler:

- Dispensar Miguel Vítor um homem da casa que apesar de não ser um fora de série cumpre sempre que é chamado, isto é, faz um bom banco (qualidade/preço), para ir contratar um qualquer brasileiro parece-me um erro claro e repetido sucessivas vezes;

- Contratações a existirem que sejam valias e verdadeiras opções, contratar para encher não vale apena, os que cá estão são suficientes;

- Se identificaram lacunas (que existem) e pretendem colmatá-las oiçam J. Jesus para indicar as caracteristicas e posições a reforçar, mas tenham em atenção que jogador indicado por este é de evitar, já nos bastam César Peixoto, Júlio César e Weldon, mais não!!!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Magia de Di Maria e Aimar supera Messi

O jogo desta noite valeu sobretudo pela notável inspiração de Di Maria, um autêntico diabo vermelho à solta, em contraste com a agressão disparatada frente ao Olhanense. Provou, mais uma vez, que se estiver concentrado apenas em jogar futebol, pode, como aconteceu hoje, ser genial.

Marcou dois golos espectaculares, o primeiro na sequência de um remate cruzado, mas o segundo foi ainda mais brilhante, recorrendo ao remate "de letra". Podia ter conseguido um "hat-trick", se a bola não tivesse sido defendida...pela barra. Ou seja, em termos de cotação, demonstrou que pode valer 40 milhões de euros, depois de, em Olhão, nem sequer merecer 40 cêntimos.

O Benfica poupou vários titulares, até podia ter goleado, como sofrido o empate, na consequência daquele final desastrado, parecendo que queria oferecer, nesta quadra natalícia, a igualdade ao AEK.

O que se passa com Weldon?
Com poucas oportunidades, o brasileiro deve estar com vontade de continuar como suplente: provou que corre bem, mas hoje esteve muito...trapalhão. Até começou bem o campeonato, com o golo que evitou que o Benfica perdesse com o Marítimo, foi atormentando por uma lesão e, depois de aparições esporádicas, participou no lance do segundo tento no Algarve, sem que isso apagasse uma exibição discreta.

A vitória de Aimar
Aimar foi considerado o melhor futebolista argentino da década, numa votação promovida pelo «site» Ambito.com, de Buenos Aires, tendo relegado Gabriel Batistuta para o segundo lugar, enquanto "Super Messi" ficou no quarto posto, atrás, também, de Riquelme. Segundo os responsáveis da página, "El Mago" chegou à liderança depois de o «site» do Benfica ter noticiado que a votação estava a decorrer.

O triunfo pode ser discutível, mas convém não esquecer que, há dez anos, brilhava no River Plate e na selecção da Argentina, conseguindo, depois, rumar ao Valência, onde protagonizou épocas de grande nível, tendo conquistado a Taça UEFA em 2004 , antes dos momentos menos felizes sobretudo no Saragoça, devido a problemas físicos. Neste aspecto, é um jogador de risco, mas, nesta época, já demonstrou que pode apresentar um futebol ao nível de Rui Costa.


video

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Já que se fala tanto em transferências...

Já que numa fase importante do nosso campeonato para o nosso clube, onde devia imperar o bom senso e a concentração à volta de uma equipa de futebol, tanto se fala dos 18 milhões de euros que temos para investir, de que o Benfica está comprador e não vendedor enquanto não ganharmos um título, que o Airton e o Kardec estão a chegar, eu também tenho o direito de mandar um bitaite para o mercado de transferências deste mês de Janeiro. Querem comprar um jogador com CLASSE, que vale todos os milhões inflacionados nos últimos tempos? Então vão buscar o Ruben Micael e já!


Sem colocar em causa a qualidade de Airtons e Kardecs, preferia mil vezes que esse dinheiro gasto com estes jogadores, e mais algum é óbvio pois o presidente do Nacional é uma figurinha muito sui generis deste nosso futebol tão português mas não é parvo nenhum e percebe da poda, fosse utilizado para comprar um médio completo que defende, tem qualidade de passe, organiza jogo e marca golos até dizer chega! De uma penada só arranjávamos um valor seguro para o futuro, seleccionável para a selecção e resolvíamos o problema de dois jogadores que embora tenham qualidade não oferecem garantias ao nível de disponibilidade para uma época longa e desgastante, falo do Aimar e do Carlos Martins.


PS – E não venham dizer que a desestabilização com nomes de jogadores, transferências é só por culpa dos meios de comunicação.



MÍTICO

Este fim de semana, o jogo tem tudo para ser épico:

- Com um jogo 3 dias antes;
- Sem pelo menos 3 habituais titulares;
- Roubados (nem sei quem é o árbitro, mas face ao adversário e às circunstâncias, é o mais provável. Pelo sim, pelo não, é de deixar a carteira em casa).

E mesmo assim, estou a pensar em ganharmos pelo menos por 3...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Frase para o balneário

Era esta frase que eu punha no balneário da Luz,

"Jogadores do FC Porto prevêem semana difícil para o Benfica «com duas derrotas"

n`A BOLA

É uma pena

É uma pena, mais uma vez, chegarmos a este momento da temporada e já estarmos quase arredados da luta pelo título. Os todo-poderosos de sempre já estão no topo da classificação e nós arrastamo-nos miseravelmente pelos fundos da tabela quase moribundos.

É uma pena já termos perdido o jogo do próximo domingo frente àquela equipa que maravilha toda a gente, espantando a Europa na passada 4.ª feira num campo onde este ano mais ninguém consegue ganhar e goleando ontem por 2-0 uma equipa que tem um historial rico no futebol português. Enquanto isso, nós fomos derrotados por 2-2 no campo de uma equipa que agora chegou à I Liga.

É uma pena que a tal derrota que está garantida no domingo nos afaste realmente da vitória no campeonato. Ficaremos tão distantes do tal conjunto demolidor que não haverá possibilidade de recuperação. Onde é que já se viu recuperar dois pontos de desvantagem em meio campeonato?

É uma pena, por tudo isto, que tenhamos de esquecer a temporada de 2009/2010 e começar já a pensar na próxima.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Ganhar era impossível

Perspectivava que o Benfica pudesse ganhar no José Arcanjo, ou golear, considerando o bom campeonato que a equipa tem feito e o facto de o Olhanense ser uma das piores equipas da I Liga. Nada disso aconteceu, porque o Benfica simplesmente se esqueceu de jogar futebol ao nível do que tem mostrado durante a temporada: quase sempre, faltou velocidade, jogadas com nexo, capacidade de remate, apesar dos dois golos marcados.

O lance do primeiro golo dos algarvios nasceu na sequência de uma falta inexistente, Anselmo podia ter visto o cartão vermelho, naquela confusão que originou a expulsão justa de Djalmir, mas mais lamentável foi o futebol praticado que se tornou na principal razão para o empate de hoje. Em condições normais, o Benfica tem qualidade para ganhar facilmente ao Olhanense.

Nuno Gomes revelou-se decisivo e devia ter entrado mais cedo, tal como Felipe Menezes, desde que estivesse com outra inspiração, enquanto Weldon não trouxe nada de novo.

Como se a «desgraça» fosse pouca, o Benfica, frente ao FC Porto, não poderá jogar com Di Maria, com uma exibição desastrada e uma expulsão pateta, Ramires, Fábio Coentrão - não foi tão bom como tem sido este ano - e possivelmente Pablo Aimar, jogador fundamental na estratégia de Jesus. São demasiadas contrariedades, mas só assim é que se pode perceber se o plantel é suficientemente rico para oferecer soluções credíveis.



Farto disto

O futebol Português está podre, é podre e continuará podre. No jogo de hoje tivemos uma arbitragem habilidosa (preparado antecipadamente para mostrar amarelos ao minimo toque), uma equipa adversária quezilenta e a lutar como se não existisse amanhã, picardias e confusões. Do que escrevi anteriormente qual é a novidade? Todos os Benfiquistas que conheço, na maioria dos blogues que leio se falou durante a semana do que ai vinha, todos sabíamos que iria ser assim e qual é a atitude da nossa equipa? Displicência, desconcentração, falta de atitude. A equipa foi mal preparada para este jogo, quer a nível táctico mas sobretudo a nível mental. Assumam-se as responsabilidades do medo com que a equipa entrou para este jogo, nomeadamente, Jorge Jesus que se afundou por completo e cresçam, façam-se homens se querem ganhar.

Estou realmente farto deste futebol, mas não estou menos farto destes meninos que têm a honra de defender as nossas cores.

Desculpem o desabafo.

Benfica, Meu Eterno Amor - GUILHERME CABRAL

Vi este video no youtube e não resisti a colocá-lo aqui, depois de tantas injustiças a que temos sido sujeitos, ainda há coisas que nos fazem sorrir emocionar desejar e acreditar que tudo só poderá ser melhor, não há dúvida este clube é mágico! É esta força que nos projectará ao que é nosso!

Deliciem-se

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Mais uma vitória



O Benfica em Basquetebol continua na senda das vitórias, A Supertaça é nossa.

Omissão de auxilio

Cardozo regista neste momento para a liga Sagres 14 golos em 12 jogos, ainda assim os seus detractores continuam com parangonas e justificações absurdas afirmando que não é jogador para o Benfica. Os média falam em poste no meio dos centrais, outros dizem que é lento, limitado não sabe jogar de cabeça. Os factos são evidentes não mentem só não vê quem não quer.
Cardozo não cria golos, marca-os e é este pequeno pormenor que distancia as opiniões. Jorge Jesus viu em Cardozo aquilo que Camacho e Quique Flores não viram, um marcador de golos em que a equipa deve girar. Toda a estrutura e movimentações da equipa têm como epicentro o nosso ponta de lança. As vantagens são óbvias reflectem-se nos números os problemas surgem na sua ausência. Em termos de estratégia para uma esperada e vitoriosa época os riscos eram pequenos, Cardozo raramente é admoestado, logo, dificilmente castigado, raramente tem lesões apenas teria que ser gerido nas suas deslocações para representar a selecção. O que não contávamos era que este pudesse ser punido por ser agredido ou por assistir a agressões sem ripostar. Após visualizar as imagens no túnel de Braga, só podemos concluir que Cardozo foi castigado e punido pelo crime de omissão de auxilio. Esta figura jurídica que foi repescada da sociedade civil para o nosso futebol levanta-nos graves problemas de conduta para os próximos jogos, o que fazer com Cardozo?
- Se responder a agressões e/ou defender um colega é castigado;
- Se nada fizer castigado é;
O melhor será afastá-lo de todo e qualquer aglomerado de jogadores, túneis ou quaisquer acessos mal frequentados, o que convenhamos não será fácil.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O Júlio de Matos é já ali

Acabei de cometer a insensatez de ler a crónica de Eduardo Barroso na A Bola, mas fi-lo, porque percebi que a página era dedicada praticamente ao Benfica, o que despertou a minha curiosidade, antes de concluir que não deve ter havido tanta estupidez concentrada desde que existe Imprensa em Portugal.

Raramente leio o que este sportinguista escreve, há muito tempo que não vejo o que diz na televisão e confesso que lhe achei, por vezes, alguma piada. Voltando ao artigo de hoje, consigo perceber que deteste o Benfica, não vista roupa vermelha e considere que temos pouco mérito nas vitórias, agora não aceito as referências desastradas que faz às grandes qualidades dos melhores jogadores do Benfica.

Escrever que Di Maria é um jogador de futsal, invenção da Imprensa, significa que Eduardo Barroso endoideceu ou está lá muito perto. Mais rídiculo é quando considera que Aimar «é outra invenção dos media», esquecendo ou ignorando o currículo de luxo no River Plate, Valência, selecção da Argentina, à qual regressou depois de ter demonstrado que é o melhor número dez do campeonato, ao nível, por vezes, do que Rui Costa exibiu no Benfica. Quando garante que não o trocaria por Matías Fernandez ou Miguel Veloso, deve ter sido debaixo de forte anestesia, que lhe tolheu a inteligência.

Provoca Javier Garcia, igualmente um dos melhores trincos de Portugal, e o facto de o comparar com João Moutinho só dá para rir. Nem refiro quem prefiro, mas são jogadores de características e posições diferentes, logo equipará-los é um erro. Estende as críticas a David Luiz, catalogando-o de faltoso, o que por vezes até verdade, mas se os árbitros não assinalam as infracções, tal como Barroso insinua, o nosso central não tem, como é óbvio, culpa disso. Continua no mesmo registo, visando Quim, Óscar Cardozo, por não ser titular no Paraguai, mas Liedson teve de optar por Portugal, porque senão nunca jogaria no Brasil, Jorge Jesus não escapa, mas com tanto fundamentalismo elogia Paulo Bento, benfiquista como todos sabem.

Consegue, também, escrever que a Selecção pode repetir os feitos do Mundial de 1966. Pela lógica que apresenta, não o devia ter feito, pois como se sabe os grandes trunfos eram do Benfica, a não ser que Eduardo Barroso considere que Coluna, Simões, José Augusto, Torres e Eusébio formavam os Cinco Violinos.

Como figura pública este tipo de comportamento não lhe fica bem: se o objectivo era atacar o Benfica, com inteligência, sentido de humor ou ironia não conseguiu. Lamentável!

PS: Morada do Hospital de Matos - Avenida Brasil 53, 1700-063 Lisboa.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

40 Milhões

Começo desde já por dizer que acho duvidoso que alguém venha a pagar isso pelo Di Maria. No entanto, se houver algum maluco pronto para pagar tanto por ele (ou perto disso), eu diria que é de aproveitar enquanto der.

É bem verdade que o Di Maria desta época está incomparavelmente melhor que na anterior e que sem dúvida que é um jogador com talento,potencial e de quem até gosto, mas continua muito inconsequente e não sei se não ao seu limiar máximo se não for para outro clube, num campeonato mais exigente e onde possa desenvolver o potencial que tem.

Com as notícias que vão aparecendo sobre a nossa situação financeira, e mesmo sabendo que o nosso clube é a marca que é, há sempre alguma preocupação quando se vê o passivo que há, o investimento que é feito e o facto de não haver praticamente receitas de vendas de jogadores.

Assim, acho que é uma situação em que todos ficam a ganhar.Com os 40 milhões conseguiríamos comprar um substituto bem decente (e se calhar até melhor, nalguns aspectos - Reyes?), reforçar a equipa no que possa ser preciso (um lateral-esquerdo não era mal pensado) e abater no passivo, sempre tendo em conta que no plante haverá alternativas (Fábio Coentrão, César Peixoto, Urreta). Do seu lado, o Di Maria pode crescer noutro clube (que há-de ficar com o risco de ver se o potencial que existe sempre se confirma) e esperarmos que corra tudo bem.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Serenata à chuva perante o Mourinho de trazer por casa

O Benfica voltou às goleadas, o que não acontecia desde o jogo com o Nacional, e não deixa de ser notável o facto de a vitória expressiva ter sido sob chuva, que empapou o relvado e condicionou o resultado, porque a equipa, com melhor tempo, podia ter igualado, pelo menos, os oito golos que marcou ao V. Setúbal. No entanto, o mais importante são os três pontos e voltar a estar em igualdade com o Sp. Braga.

Cardozo provou, novamente, que é um «bombardeiro» implacável. Marcou três golos e podia ter conseguido mais um ou dois. Claramente, trata-se de um jogador fundamental e o mais difícil de substituir, caso saia por lesão, castigo ou vá para outro clube. Finalmente, o Benfica pode ter um futebolista capaz de ser o melhor marcador do campeonato: desde 1990/91, que não há nenhum benfiquista que imite Rui Águas neste «ranking»; em 2002/2003, Simão marcou os mesmos golos do que Fary, mas perdeu o troféu, porque totalizou mais minutos.

Saviola só marcou um, mas foi o grande golo da noite e o argentino é a melhor contratação da temporada. Um talento puro, que me surpreende cada vez mais, e merece ir ao Mundial.


Mourinho mas pouco

Achei piada quando André Vilas Boas apareceu como possível salvador da pátria do Sporting. Poderá, no futuro, ser bom treinador, mas sair das «asas» de Mourinho e voar, de imediato, para um «grande» seria um disparate. Como Mourinho há poucos, e quem o compara com o nosso ex-treinador, esquece-se que tem um percurso totalmente diferente: é um sobredotado, nasceu a ver jogos e a fazer relatórios para o pai, foi adjunto no Vitória de Setúbal, Estrela da Amadora, Sporting, FC Porto e Barcelona, antes de chegar ao Benfica.

Vilas Boas, como cópia limitada do mestre, consegue «levar 4» do Benfica e dizer que o resultado não foi uma goleada. Fantástico! Naturalmente, comparando com os 8-1 do encontro com o V. Setúbal, não foi um resultado tão expressivo. Só lhe faltou dizer que merecia ganhar, mas esteve perto de tal proeza: sem que ninguém lhe perguntasse, fez questão de salientar que houve um penálti por marcar, devido à falta sobre o Éder. Não me lembro do lance, nem quero, mas dizia o Mourinho II que a Académica teria feito o 3-1. Toda a gente sabe que, com este tento, o adversário iria transformar-se e empataria ou ganharia por 4-3... Ridículo! Enfim, perdeu excelente oportunidade para estar calado.




video

domingo, 6 de dezembro de 2009

Quem marcará mais?

Uma pergunta que me persegue:

Neste momento um homem marcou mais golos que um clube, 14-12.

Quem vai marcar mais, Cardozo ou o Sporting?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Dia 02-12-2009 para mais tarde recordar


Hoje é dia 2 de Dezembro de 2009, e Eduardo Barroso o famoso cirurgião diz que o Benfica maravilha não será campeão, folgo em saber que o Doutor se preocupa com o maior clube português, principalmente por escrever sobre os outros e se esquecer que o seu está mais furado que um queijo suiço tal não é a quantidade de buracos que lá existem. Se extrapolássemos para o dominio da sua área estou em crer que o Sr Doutor teria muitas dúvidas em operar o doente tal é a sua fragilidade, e só faço estas afirmações por reconhecer que efectivamente o sr possui poucos conhecimentos sobre esta arte que se chama futebol. Estar preocupado com um paciente que tem uma saúde aceitavel em detrimento de um paciente que está completamente moribundo, não me parece a melhor solução ainda para mais sabendo que o segundo lhe é tão querido. " O Benfica maravilha não será campeão", pois, e o Sporting Péssimo nem sequer irá à UEFA, ou O Sporting Deprimente está mal classificado, ou O Sporting de Rastos já não ganha à não sei quantos jogos para o campeonato. Uma coisa é certa já percebeu algo que o Carvalhal não percebeu é que o Sporting não vai ser campeão e isso deixe-me que lhe diga, fica-lhe bem.
Quanto à sua capacidade de intuição ou de presságio sobre o futuro, penso que esses temas serão mais interessantes para uma Maya ou um Paulo Cardoso, e não para um homem da ciência e do conhecimento, o desespero leva a muitas coisas, mas não estou a ver o Doutor de turbante com uma bola de cristal à sua frente.